Ser mãe pela primeira vez é uma grande experiência, mas, para muitas mulheres, uma experiência excessivamente desgastante. Algumas não conseguem desgrudar da porta do quarto de seus bebês. Outras ficam angustiadas quando não conseguem conter o choro do filho. Um terceiro grupo ainda se descabela na dúvida sobre se ele está mamando bem ou não

Os pais de primeira viagem devem pedir apoio de amigos, familiares e agentes de saúde para evitar e solucionar qualquer tipo de problema referente ao bebê recém nascido.

Estar confiante de que é capaz de amamentar o seu filho: A amamentação traz inúmeros benefícios ao bebê, e o corpo da mulher está preparado para cumprir essa função. Não dê água ao bebê! O leite materno é tudo o que ele precisa, já que a sua composição se adapta às suas necessidades. A subida do leite acontece, na maioria das mães, por volta das 48 horas, mas podem acontecer alguns dias mais tarde. Este atraso na subida do leite pode dar-lhe a noção de que não tem leite e a tentação de recorrer a leites artificiais. Evite os biberões (mamadeiras) e procure dar de mamar frequentemente. 

Amamentar a pedido, frequentemente, sem horários, sem limitações de tempo (pelo menos 8-10 vezes/dia): Procure ter poucas visitas e descansar adequadamente. Aceite que para isso algumas tarefas não sejam realizadas. Uma boa estratégia consiste em dormir sempre que o bebê o faça, porque para ele não existe diferença entre dia e noite e vai querer mamar a qualquer hora. Procure colocar o berço ao seu lado no quarto, de forma a conseguir confortar e tratar do bebê sem ter que se deslocar.

Ser capaz de posicionar o bebê e ajudar a fazer a pega: Se o bebê estiver corretamente posicionado e fizer uma boa pega, não irá haver dor ou traumatismo do mamilo. Contudo, nos primeiros dias é normal haver uma sensibilidade aumentada e talvez até alguma dor que desaparecerá com o decorrer dos dias. Fique em uma posição confortável e relaxada. O bebê deve estar com roupas adequadas, de preferência com braços e pernas livres, com corpo voltado para mãe e cabeça alinhada com o corpo. As mamas devem estar expostas e você deve segurar a mama em forma de “C” (dedo polegar na parte superior e os outros 4 dedos na inferior), com cuidado para deixar a aréola livre e para não fazer forma de tesoura. Estimule o bebê a pegar o seio tocando o mamilo nos cantos do seu lábio inferior, ele por reflexo abre a boca e abaixa a língua, ao pegar a aréola ele acaba sugando reflexamente. Para verificar a boa pega, observar se a aréola foi em grande parte ou, quase toda, abocanhada (Não deixar o bebê pegar só o mamilo, pois machuca), se o queixo do bebê está tocando o seio, se ele mantem a boca aberta, com o lábio inferior voltado para fora. E por fim se a aréola está mais visível acima da boca do que abaixo.

Como saber se o bebê está a extrair leite de forma eficaz?

Poderá ver a mandíbula do bebê para cima e para baixo e ouvirá ruídos de deglutição do leite. O bebê mama de forma rítmica, sendo normal fazer algumas pausas e durante a mamada o ritmo vai diminuindo. Quando acabar de mamar, normalmente, deixa a mama espontaneamente.

De que maneira sei se o leite é suficiente para o bebê?

O bebê parecerá contente e satisfeito após a maior parte das mamadas. Após os primeiros dias de vida fará xixi pelo menos 6 vezes por dia e fará pelo menos duas defecções de fezes amareladas. Não se esqueça que, mesmo se estiver muito motivada, não deve a todo o custo tentar amamentar se o processo estiver correndo mal. Procure ajuda. Ter ajuda não significa incapacidade ou incompetência. É normal, muitas das mulheres necessitam de ajuda nesta fase.

É normal chorar?

"Bebês podem chorar uma média de até três horas por dia", afirma a pediatra Leda Amar de Aquino, membro da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP). Para descobrir os possíveis motivos, a estratégia é a da exclusão. Por isso, se você já verificou a fralda, já tentou dar de mamar, checou se a roupa ou posição não estão incomodando e, mesmo assim, o bebê continua chorando, espere passar. A especialista também recomenda conversar com o bebê para a mãe se acalmar e também tranquilizar a criança. "Choros contínuos são mais comuns nos três primeiros meses. Nesse período as cólicas incomodam, mas a causa do choro pode ser uma simples inquietação", diz.