A tireoide é uma glândula responsável pela produção de hormônios como T3 (tri-iodotironina) e o T4 (tireoxina). Eles estimulam o metabolismo, ela interfere também no desempenho de órgãos vitais, como o coração, no funcionamento do intestino e no ciclo menstrual.

Quando a tireoide não funciona corretamente pode ocorrer dois tipos de distúrbios, o hipotireoidismo (produção baixa ou nula de hormônios) e o hipertireoidismo (produção excessiva de hormônios).

Segundo a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, cerca de 10% das mulheres acima de 40 anos e em torno de 20% das que têm acima de 60 anos manifestam algum problema na tireoide. Porém é importante estar atento, pois todas as pessoas, independente de sexo e idade, estão sujeitas a alterações desta glândula.

 

Conheça os principais sintomas:

Hipertireoidismo:

  • Dificuldade de dormir;
  • Aceleração dos batimentos cardíacos;
  • Intestino solto;
  • Agitação;
  • Muita energia, apesar de muito cansaço;
  • Queda de cabelos;
  • Calor e suor exagerado;
  • Menstruação irregular;
  • Nervosismo e irritação;
  • Perda de peso resultante da queima de músculos e proteínas;
  • Tremores.

 

Hipotireoidismo:

  • Depressão
  • Diminuição da frequência cardíaca;
  • Intestino preso;
  • Menstruação irregular;
  • Diminuição da memória;
  • Cansaço excessivo;
  • Dores musculares;
  • Sonolência excessiva;
  • Pele seca;
  • Queda de cabelo;
  • Ganho de peso;
  • Aumento do colesterol no sangue;
  • Alterações na potência e libido dos homens.

 

Diagnóstico

O diagnóstico pode ser feito pela dosagem do hormônio TSH e dos hormônios T3 e T4 produzidos pela tireoide. Os exames devem fazer parte do calendário anual de exames das mulheres a partir dos 35 anos.

Leia também: 7 exames preventivos que as mulheres devem realizar anualmente.

Índices elevados de TSH e baixos dos hormônios da tireoide caracterizam o hipotireoidismo. TSH baixo e alta dosagem de hormônios da tireoide caracterizam o hipertireoidismo.

 

Tratamento

No hipotireoidismo, normalmente começa com a reposição do hormônio tiroxina que a tireoide deixou de fabricar. Como raramente a doença regride, ele deve ser tomado por toda a vida.

No hipertireoidismo, o tratamento pode incluir medicamentos, e cirurgia dependendo das características e causas da doença. Deve iniciar assim que possível evitando a ocorrência possíveis arritmias cardíacas, hipertensão, fibrilação, infarto e osteoporose.

 

Recomendações

  • Procure adotar uma dieta alimentar equilibrada;
  • Fazer atividade física é indicado nos casos de hipotireoidismo, mas contraindicada para pacientes com hipertireoidismo;
  • Não é aconselhável fumar em nenhum dos casos;
  • A ingestão regular do iodo contido no sal de cozinha evita a formação de bócio (não em excesso).

Algumas mulheres não tem o hábito de ir ao ginecologista com frequência, procurando ajuda somente quando notam algum sintoma ou sentem mal-estar, como corrimentosuspeita de gravidez ou sentem dores durante a relação sexual.

A orientação é procurar um ginecologista anualmente e, inclusive realizar check-ups com intuito de prevenir possíveis doenças, quanto antes diagnosticado, maiores são as chances de sucesso nos tratamentos.

Segundo pesquisa, mais da metade das mulheres, 52% não realizam exames ginecológico preventivo, o famoso Papanicolau, exame esse que pode detectar doenças como o câncer de colo de útero que é o terceiro tumor que mais afeta a população feminina no Brasil.

Pensando nisso trouxemos uma lista de exames preventivos que devem fazer parte do check-up anual da mulher.

 

1. Preventivo: 

Citologia oncótica cervical, popularmente conhecida como Papanicolau. A coleta do exame é feita através de uma espátula especial é usada para coletar material do colo uterino, analisado depois em laboratório. Esse exame deve ser feito anualmente, um ano após o início da atividade sexual.

Detecta alterações no colo do útero e doenças como o câncer do colo do útero e infecções por fungos, herpes e verrugas no órgão genital feminino.

 

2. Colposcopia, Vulvoscopia:

São exames solicitados que complementam o Papanicolau caso tenha alteração.

A colposcopia é um exame que avalia de maneira detalhada a vagina e colo do útero. É utilizado um colposcópio, uma espécie de binóculo que ilumina e amplia a visão da região.

Em caso de mulheres virgens, é feito o exame vulvoscopia, pois será realizado com um tipo de microscópio que permite a ampliação da região genital.

É possível verificar se há ou não uma lesão na região, e se é de natureza benigna (ou inflamatória), pré-maligna ou maligna. Pode detectar problemas como verrugas genitais no colo do útero que pode ser causada pelo vírus HPV (Vírus do Papiloma Humano), cervicite, pólipos benignos (crescimentos irregulares de tecidos) e sangramento.

 

3. Ultrassom transvaginal: 

O exame é realizado por uma sonda especial, que é envolta com preservativo para proteger e evitar contaminações.

É indicado para detectar doenças na região pélvica como: endometriose, miomas, cisto nos ovários, tumores de ovários etc.

 

4. Mamografia:

O exame entra normalmente no calendário anual em mulher a partir dos 40 anos. É um exame não invasivo realizado através do mamógrafo, um aparelho semelhante ao raio-X convencional só que projetado para a anatomia da mama.

Geralmente se tem alteração o médico pede ultrassom ou biópsia para confirmar eventuais suspeitas.

 

5. Exame de sangue

O exame de sangue básico deve ser repetido anualmente para analisar a saúde da mulher em geral. É coletado em laboratório, em alguns casos é necessário jejum.

Os principais exames são: glicemia (mede a taxa de açúcar no sangue e detecta a diabetes); colesterol total e frações (medem o nível de gordura no sangue); uréia e creatina (avalia a função renal); TGO e TGP (avaliam a função hepática) e hemograma (avalia os glóbulos brancos e vermelhos do sangue e plaquetas).

 

6. Exame de urina

O exame de urina é de fácil coleta onde análise é feita através de um laboratório. Pode detectar problemas nos rins e nas vias urinárias, além de indicar a presença de glicose ou até mesmo sangue na urina. Ele analisa fatores, como pH, densidade, aspecto e presença de elementos anormais. Diversas doenças e problemas de saúde causam alterações que podem ser detectadas pela urina.

 

7. Densitometria Óssea:

É um procedimento que mede a redução da massa óssea da região próxima ao fêmur, podendo detectar a osteoporose e a osteopenia. É um exame rápido que dura cerca de 5 minutos e indolor. Normalmente entra na lista de exames anuais para mulheres a partir dos 60 anos.

 

Previna-se, consulte seu médico anualmente, quanto mais cedo for feito qualquer diagnostico, maior é a chance de cura.

O leite materno é o alimento ideal e mais completo para o crescimento saudável e o desenvolvimento dos recém-nascidos, é mais do que apenas nutrição, é um processo que envolve interação profunda entre mãe e filho, que auxiliam no estado nutricional da criança, em sua habilidade de se defender de infecções e no seu desenvolvimento emocional.

A Organização Mundial de Saúde recomenda que as mães amamentem exclusivamente com o leite materno até o 6º mês do bebê. A partir dos seis meses, o bebê poder começar a receber a alimentação complementar indicada pelo médico pediatra juntamente com a amamentação, que deve ser mantida até os dois anos de idade – ou mais.

 

Os benefícios do leite materno para o bebê

  • Tem tudo o que o bebê precisa até os 6 meses, inclusive água.
  • Capaz de reduzir em 13% a mortalidade por causas evitáveis em crianças menores de 5 anos.
  • Protege a criança de doenças como diarreia, infecções respiratórias e alergias.
  • Reduz risco de desenvolver hipertensão, colesterol alto, diabetes e obesidade na vida adulta.
  • O aleitamento materno contribui para o desenvolvimento cognitivo.

 

Benefícios da amamentação para a mãe

  • Reduz o peso mais rapidamente após o parto.
  • Ajuda o útero a recuperar seu tamanho normal, diminuindo o risco de hemorragia e de anemia após o parto.
  • Reduz o risco de diabetes.
  • Reduz o risco de desenvolvimento de câncer de mama e de ovário.

 

O que pode ser prejudicial para amamentação

  • Tentar “complementar” a alimentação com outros tipos de leites, o que fará com que a mãe tenha uma redução na produção de leite e diminuir a proteção do bebê.
  • Oferecer mamadeira, pois o jeito que o bebê mama no peito e na mamadeira é diferente, podendo confundi-lo.
  • Dar chupeta para o bebê faz com que ele mame por menos tempo.
  • Fumar, ingerir bebidas alcoólicas e remédios por conta.

Você sabe de onde veio este rico alimento?

O Mocotó surgiu na época da escravidão, nesta época os Senhores fazendeiros e proprietários dos escravos, comiam as carnes e jogavam fora os ossos e era destes ossos que os escravos tiravam tudo que precisavam para se manterem fortes para as suas tarefas.

O Mocotó é a parte da canela e pé do Boi, é considerado uma das refeições mais saudáveis e nutritivas do mundo. Nesta parte estão presentes as cartilagens, tendões e o Tutano (parte interna do osso) e é justamente nessas partes que estão a maioria das proteínas, vitaminas e minerais, sendo extremamente resistentes, pois fornecem o sustento de todo o corpo do Boi.

É através do caldo de Mocotó que conseguimos obter Colágeno de alto valor biológico. Uma proteína que dá o aspecto gelatinoso ao caldo e para o nosso corpo oferece aminoácidos essenciais com benefícios antienvelhecimentos, melhorando o sistema imunológico, a pele, cabelos, unhas, ossos e juntas. É do tutano que são fornecidas gorduras boas, vitaminas A, D, E e K, que são poderosos antioxidantes, minerais como o zinco que beneficia o sistema nervoso central, também o cálcio, fósforo, magnésio, sódio e potássio.

Muitos ingredientes adicionados ao Mocotó, além de deixar mais gostoso, contribuem para um conjunto ainda mais saudável. O tomate fornece o licopeno, alho e cebola com antioxidantes e suas propriedades medicinais. O pimentão, cebolinha, cheiro verde e o louro fornecem cálcio e outros minerais e vitaminas.

O caldo tem sabor forte e encorpado, é uma ótima fonte de energia sendo recomendado para crianças que são muito ativas e precisam de energia para gastar e reposição de nutrientes. Em muitas pessoas ocorre o aumento da disposição sexual pelo efeito estimulante e fortificante do caldo. É ótimo em dietas de emagrecimento, pois uma xícara do caldo possui poucas calorias. Por ser rico em gorduras e proteínas, a digestão é lenta e isto fornece grande saciedade.

Se você não consome Mocotó, pois pensa que este alimento é muito gorduroso e pode te causar colesterol, confira a tabela nutricional abaixo e saiba mais sobre em Colesterol.

 

Confira a Tabela Nutricional do Mocotó

Calorias e nutrientes: Mocotó Bovino

 

 

(100g de parte comestível)

 

Energia, macronutrientes e fibra

Calorias

214,00 kcal

Proteína

28,81 g

Lipídeos Totais

10,13 g

Carboidrato

-

Fibra Total

-

Minerais

Cálcio

6,00 mg

Magnésio

24,00 mg

Manganês

0,01 mg

Fósforo

222,00 mg

Ferro

1,00 mg

Sódio

50,00 mg

Sódio de Adição

333,00 mg

Potássio

363,00 mg

Cobre

0,01 mg

Zinco

2,83 mg

Selênio

43,20 mcg

Vitaminas

Retinol

2,00 mcg

Vitamina A

2,00 mcg

Tiamina

0,64 mg

Riboflavina

0,31 mg

Niacina

5,36 mg

Equivalente Niacina

11,46 mg

Piridoxina

0,40 mg

Cobalamina

0,55 mcg

Folato

9,00 mcg

Vitamina D

0,80 mcg

Vitamina E

0,32 mg

Vitamina C

0,40 mg

Gorduras e açúcar

Colesterol

83,00 mg

Ácidos Graxos Saturados

3,54 g

Ácidos Graxos Monoinsaturados

4,49 g

Ácidos Graxos Poliinsaturados

0,85 g

Ácidos Graxos Poliinsaturados 18:2

0,73 g

Ácidos Graxos Poliinsaturados 18:3

0,02 g

Ácidos Graxos Trans

0,03 g

Açúcar Total

-

Açúcar de Adição

-

Certamente, você já ouviu alguém dizer que uma boa alimentação é um santo remédio. E é verdade! Uma dieta nutritiva e equilibrada contribui para uma vida mais saudável em todos os aspectos. Muitas pessoas, porém, têm dificuldade em manter um cardápio balanceado devido à correria do dia a dia. Mas certos alimentos não podem faltar. Por isso, é essencial estar atento àquilo que você põe no prato. Vamos começar falando sobre os 10 vegetais indispensáveis à sua dieta?

Rechear o cardápio com alimentos nutritivos reduz a vulnerabilidade a doenças e ajuda a manter o corpo em forma. Confira a seguir quais são os 10 vegetais indispensáveis à sua dieta e por que fazem parte desse seleto grupo. Mas lembre-se sempre: para manter a saúde em dia, é fundamental consultar regularmente seu médico!

 

Agrião

É mais comum usarmos a alface como folha predominante na composição de saladas. Entretanto, se você busca variações, o agrião é uma recomendação a ser considerada - tanto devido ao sabor quanto por sua qualidade nutricional.

O agrião é uma folha muito rica em nutrientes e oferece diversos benefícios à saúde: combate anemia, doenças cardíacas, doenças respiratórias e até o câncer. Além disso, ajuda a fortalecer o sistema imunológico e a saúde dos olhos e da pele.

Dica: o agrião é mais conhecido por sua presença em saladas, mas também pode ser usado na preparação de sopas e chás.

 

Alho

O alho é muito mais do que um bom tempero. Essa planta é amplamente conhecida por suas propriedades medicinais e utilização no preparo de chás. Um de seus efeitos positivos é o de desintoxicar o organismo e aliviar casos de constipação.

Há várias doenças que podem ser combatidas graças à ingestão regular de alho. Dentre elas, destacam-se bronquite, insônia, neurites e polineurites, parasitas intestinais, câncer e coqueluche.

Dica: sabe aquele famoso mau hálito provocado pelo alho? Uma forma de contornar essa questão é mascar cravos da Índia após a refeição. Eles reduzem o odor do alho.

 

Beterraba

Um dos ingredientes que ajudam a adocicar a salada, a beterraba é um alimento bastante poderoso. Em sua raiz, está concentrada grande parte dos nutrientes nela presentes.

A beterraba previne uma série de problemas de saúde, dentre os quais anemia, alguns tipos de câncer, tosse, coqueluche e males do fígado. Vale destacar também seu potencial na redução dos níveis de colesterol e, consequentemente, na melhora da saúde dos vasos sanguíneos.

Outros benefícios da beterraba são o seu efeito diurético, laxante e tonificante, que contribuem bastante para que se tenha mais disposição no dia a dia.

Dica: a beterraba vai bem não apenas no preparo de saladas. O suco de beterraba é um bom exemplo de utilização desse vegetal.

(Você sabia que o suco de beterraba é um dos segredos de atletas olímpicos?)

 

Brócolis

Versátil e saboroso, o brócolis é um vegetal bastante utilizado no preparo de saladas e vai bem também refogado. Os fitoquímicos presentes nessa planta são poderosos protetores do organismo contra o aparecimento de cânceres. Essas substâncias também são benéficas para pessoas que sofrem de gastrite e úlcera estomacal.

O brócolis é conhecido, ainda, por seu efeito calmante, laxante, antianêmico e tonificante.

Dica: pessoas que sofrem com problemas de gases devem evitar a ingestão excessiva de brócolis, pois o vegetal intensifica a sua produção.

 

Cebola

Um dos alimentos mais utilizados para temperar as mais diversas receitas é também um poderoso aliado da sua saúde. A cebola ajuda a combater anemia, câncer, gripe, obesidade, rachaduras da pele, colesterol alto, insônia e reumatismo. Possui também efeito positivo contra males do aparelho urinário e circulatório, da próstata e da tireoide.

Dica: a cebola funciona muito bem como substituta de temperos industrializados que, geralmente, possuem quantidades excessivas de sódio.

 

Cenoura

Poucos legumes são tão nutritivos e saudáveis quanto a cenoura. Esse alimento é utilizado desde o preparo de uma salada até bolos e um bom molho à bolonhesa.

A cenoura auxilia na circulação e tem ação efetiva contra o câncer, anemias, asma e diarreia. Além de combater doenças, esse vegetal contribui para a manutenção da saúde dos olhos, pele e mucosas. É também um grande aliado da saúde bucal, pois mastigar a cenoura crua limpa os dentes e ajuda no desenvolvimento dos músculos da mastigação.

Dica: gestantes e lactantes não devem abrir mão da cenoura. O vegetal aumenta o volume sanguíneo e, por consequência, eleva a produção de leite.

(Leia também: Distúrbios ginecológicos: conheça os sintomas e tratamentos)

 

Espinafre

Se o espinafre dava toda aquela força para o Popeye, não é de se espantar que esse vegetal seja recomendado para uma dieta equilibrada.

O espinafre é benéfico ao organismo por uma série de razões. Ele mantém pele, cabelos e músculos saudáveis e atua na prevenção do câncer e aparecimento de asma.

Dica: o espinafre é especialmente positivo para pessoas diabéticas. Um antioxidante presente no alimento reduz os níveis de glicose e aumenta a sensibilidade à insulina.

 

Inhame

O inhame (ou cará) não é exatamente o vegetal mais frequente na mesa dos brasileiros. Se você também não é um fã do inhame, talvez seja o momento de dar uma chance a ele.

Recentemente, o inhame foi recomendado na prevenção de doenças como dengue e febre amarela – especialmente preocupantes em algumas regiões do Brasil. Esse vegetal também fortalece o sistema imunológico e é um aliado poderoso no combate à acne e verrugas.

Dica: o inhame está presente em várias receitas de baixa caloria. Conheça algumas delas.

 

Milho

Na salada ou em outras preparações, o milho é um dos vegetais que conquistaram os brasileiros. Ele compõe refeições de forma exemplar e seu alto teor de carboidratos faz dele uma boa fonte de energia.

Os nutrientes presentes no milho ajudam a regular o sistema nervoso e o aparelho digestivo. Também combatem a degeneração muscular, protegem o sistema reprodutor e são eficazes contra artrite e caxumba.

Dica: a pipoca é uma boa opção para quem deseja fazer um lanche saudável e saboroso. Um cuidado a se tomar é não exagerar no sal e na manteiga.

 

Repolho

Certamente, você já ouviu falar que laranja e limão são boas fontes de vitamina C, não é mesmo? Pois o repolho está entre os vegetais que também se destacam por ser muito rico nesse nutriente. A vitamina C atua no combate a gripes, resfriados e doenças graves como a pneumonia.

O repolho branco inibe o surgimento da tuberculose e reduz a sensação de cansaço. Já o repolho roxo ajuda na produção de hormônios e tem propriedades anticancerígenas.

Dica: procure fazer combinações de repolho branco e repolho roxo para explorar os diferentes benefícios desses alimentos.

Higiene é muito importante

Se a boa alimentação é um dos pilares da vida saudável, os cuidados com a higiene também são. Essa preocupação com a assepsia é fundamental no manuseio de verduras e legumes. O primeiro passo é lavar esses alimentos inteiros em água corrente.

Em seguida, você deve deixá-los de molho por cerca de 15 minutos em uma vasilha de vidro ou louça com água e cloro (ou água sanitária). A proporção recomendada é uma colher de cloro para um litro de água. Esse procedimento elimina boa parte das bactérias presentes nos alimentos.

Diferença importante no manuseio de verduras e legumes:

As verduras ficam mais bem higienizadas quando lavadas folha por folha. Já para os legumes, você pode utilizar uma escova para deixá-los livres de impurezas.

Explore o universo de vegetais

Os alimentos apresentados neste artigo são especiais por suas propriedades e efeitos positivos sobre a saúde. No entanto, nossa recomendação é que você não se restrinja à seleção que fizemos. Claro que os 10 vegetais indispensáveis ajudarão a manter sua dieta saudável, mas a dica é diversificar sempre. Com isso, é possível explorar os benefícios de diversos alimentos e você dificilmente vai enjoar de alguns deles. Conheça agora todos os benefícios da cebola e do alho.

Fonte: Associação Paulista de Medicina